Retorna (!)



Por Juçara Menezes // 

E assim me deixaste partir
não por mim, não por não poder vir
Simplesmente aconteceu...

De teus abraços enlaçarem em outros seus
De teus lábios flutuarem aquém, e a outra,
que nunca exatamente mereceu...

Justificaram a bebida, apelaram para o álcool
santificaram a ferida, empurram para o alto
Sem ademais me conhecer ao certo

Pois foi de ti que me abandonei ao inferno
porque foste tu a causa do desalento
e é por ti que os sonos ainda choram...

Volta, oh calor no inverno!
Faz-me grande em tudo que desejares
Termina meus afetos em ti mesma
E me parte em gozo com olhares...


(Poeminha inspirado livremente em um pequeno desafio...)

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

2 Comentários

Clique aqui para Comentários
Adilson Cápua Jr.
Administrador
5 de abril de 2013 15:40 ×

Simplesmente perfeito! Pablo Neruda disse certa vez que versos não pussuem dono, eles são de quem precisa deles! E eu estou precisando deles. Eu li junto deles algumas passagens da minha vida! Um abraço, cara mia! ;)

Responder
avatar
Pulga na Farinha
Administrador
24 de agosto de 2013 18:24 ×

Muito obrigada pelo elogio, Adilson! E seja bem vindo!

Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário